CEAPortlet

Centro de Educação Ambiental

Avarias

Avarias

gestprocessosonline.JPG

GestProcessos Online

 

Atendimento on-line

Atendimento Online

Sensibilizar para a importância dos sistemas dunares e para a adopção de atitudes e comportamentos direccionadas para a protecção das dunas e do litoral. É com este objectivo que o FAPAS (Fundo Para a Protecção dos Animais Selvagens), com o apoio da empresa municipal Esposende Ambiente, e do Parque Natural do Litoral Norte, vai levar a efeito várias intervenções integradas no projecto “Preservação e Recuperação de Habitats Dunares”.

Assim, amanhã, dia 9, na Praia da Redonda, em Marinhas, e no dia 17, nos Moinhos de Apúlia e na Praia da Carruagem, em Belinho, alunos de diversos estabelecimentos de educação e ensino do concelho vão participar em acções de arranque de chorão e de outras espécies invasoras, bem como na plantação de estorno nas dunas em formação. 

Responderam positivamente ao desafio do FAPAS o Jardim de Infância da Santa Casa da Misericórdia de Esposende, o Clube da Floresta “Guarda-rios” da Escola EB 2,3 António Correia da Oliveira, de Esposende, as escolas EB1 de Rio de Moinhos, de Marinhas, e do Facho, de Apúlia, a Escola EB1/JI de Fonte Boa e duas turmas do 4.º ano da Escola EBI de Forjães. 

O projecto “Preservação e Recuperação de Habitats Dunares” integra-se no protocolo de cooperação estabelecido entre a Esposende Ambiente e o FAPAS, no âmbito dos Programas de Educação para a Sustentabilidade de 2010/2011, e que tem como principal objectivo a realização de actividades de índole ambiental junto da comunidade educativa concelhia.

A empresa municipal Esposende Ambiente vai dar continuidade à campanha de redução de tarifas na adesão ao sistema público de drenagem de águas residuais, com descontos de 30% nos preços praticados na ligação à rede de saneamento e na tarifa de ligação.

 
 
A medida, inserida na estratégia de angariação de novos clientes, contempla a ligação às novas redes instaladas, quer no âmbito da execução de empreitadas, quer no que respeita a ampliações de redes executadas pela empresa. Deste modo, beneficiarão de desconto os clientes que celebrarem contrato, num prazo de 30 dias após a conclusão das novas redes, sendo que a campanha abrange os utilizadores de carácter doméstico, cujo edifício possua um único fogo, as instituições de utilidade pública e as associações sem fins lucrativos. 

Para além da redução dos preços, os aderentes a esta campanha têm, ainda, a possibilidade de efectuar o pagamento em prestações mensais, a debitar no recibo da água. 

Atendendo a que a Esposende Ambiente tem vindo a fazer grandes investimentos na instalação de novas redes e que a adesão por parte da população continua muito aquém do que seria desejável, a empresa vai dar continuidade à campanha de redução de preços, como forma de incentivar a população a aderir ao Sistema Público de Drenagem de Águas Residuais, considerando também que se trata de uma questão de saúde pública e de qualidade de vida.

A empresa municipal Esposende Ambiente renovou, em Maio, a adesão aos Dez Princípios do Pacto Global das Nações Unidas em matéria de meio ambiente, direitos humanos, direitos do trabalho e combate à corrupção.

 
 
Este primeiro ano de adesão ao Pacto Global pautou-se por um vastíssimo conjunto de alterações de circunstância ao nível das competências da Esposende Ambiente, que vieram permitir a agregação de toda a capacitação técnica em matéria de ambiente na empresa, o que se tem traduzido na melhor gestão de meios e recursos e na possibilidade de realização de mais e melhores serviços. 

Materializando a importância central da sustentabilidade e da cidadania para a empresa, foram implementadas, ao longo deste ano, inúmeras medidas de desenvolvimento social e ambiental, onde a protecção dos recursos naturais do concelho e a qualidade de vida dos cidadãos têm sido questões basilares e prementes. 

A adesão a este Pacto constituiu um importante passo na vida da Esposende Ambiente e o trabalho desenvolvido neste domínio poderá ser consultado na Comunicação de Progresso (COP) que se encontra disponível no site das Nações Unidas em www.unglobalcompact.org ou no site da Esposende Ambiente em www.esposendeambiente.pt.

Entre Junho de 2010 e Maio de 2011, a empresa municipal Esposende Ambiente viu o estatuto de CarbonoZero® ser atribuído ao seu edifício sede, assumindo a sua responsabilidade climática, quantificando e compensando as emissões de gases com efeito de estufa (GEE).

 
 
A monitorização das emissões inevitáveis geradas no decorrer das actividades da Esposende Ambiente e associadas ao consumo de electricidade e à produção de resíduos indica que, durante o período de associação à marca CarbonoZero, o edifício foi responsável pela emissão de 32,43 toneladas de CO2e. 

A compensação foi efectuada através da aquisição de créditos de carbono provenientes do projecto MyBank CarbonoZero®, que conjuga o projecto florestal da Tapada Militar de Mafra, que sequestra carbono, com o projecto tecnológico da Nobrecel, localizado no Brasil, que evita emissões de carbono. 

O projecto da Tapada Militar de Mafra consiste na reflorestação de uma área ardida em 2003, diminuindo simultaneamente a carga combustível do solo e o risco de incêndio associado, através de plantações de pinheiro bravo e pinheiro manso, além de exemplares de carvalhos e folhosas caducifólias diversas. 

O projecto tecnológico da Nobrecel consiste na instalação de um sistema de co-geração que utiliza resíduos de biomassa como combustível, que permitiu substituir as caldeiras a fuel-óleo anteriormente utilizadas e reduziu o consumo de electricidade da rede, gerando uma redução das emissões de CO2 associadas ao funcionamento da instalação. O projecto contribui também para sustentabilidade ambiental local, uma vez que garante o correcto encaminhamento dos resíduos de madeira e das aparas, que anteriormente libertavam metano no seu processo de degradação. 
 

Integrado no Seminário “Percursos Pedestres: a descoberta de novos caminhos”, que decorreu no passado dia 27 de Maio, no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, em Esposende, a Câmara Municipal de Esposende procedeu à inauguração do Percurso Pedestre do Castro de São Lourenço (PR6), em Vila Chã.

 
 
 
Este percurso de pequena rota circular, com início e final nesta estação arqueológica, segue para a descoberta de outros monumentos milenares localizados no planalto de Vila Chã, como os dólmens da Portelagem, Rapido e Cruzinha, numa extensão total de 9,5 quilómetros, sendo que, para além da vertente património-cultural, podem ser apreciados aspectos paisagísticos, naturais e etnográficos. 

Este percurso sinalizado inclui a passagem por diferentes paisagens que se encontram ao redor da freguesia de Vila Chã, entre as matas e florestas de pinheiro-bravo, giestas e urzes, campos agrícolas e vinhedos, e também pela arriba fóssil, permitindo apreciar a diversidade da fauna, onde coexistem a raposa, o gato-bravo e o javali, o gaio, a águia redonda, a lebre e o esquilo, espécies que aqui têm o seu habitat natural. 

Refira-se que o concelho de Esposende dispõe actualmente de uma rede de percursos marcados, alguns dos quais urbanos e outros inseridos no Parque Natural Litoral Norte, que permitem a fruição de paisagens temáticas de índole patrimonial, cultural, natural, paisagística e gastronómica. 

Organizado conjuntamente pela Autarquia e Escola Profissional de Esposende, o Seminário Técnico “Percursos Pedestres: a descoberta de novos caminhos” contou com a participação de cerca de sete dezenas de participantes oriundos de várias escolas profissionais, superiores e universidades do norte do país, técnicos de autarquias ligados às áreas do Ambiente, Cultura e Património, Desporto e Turismo e empresas de animação turística. 

Em destaque esteve a temática dos percursos pedestres e a importância da sua dinamização, impactes, novas tecnologias e ofertas emergentes, objecto de reflexão e debate nos dois painéis que constituíram a parte científica deste encontro de aprofundamento profissional. 

O Vereador do Pelouro do Turismo da Câmara Municipal de Esposende, Rui Pereira, assinalou que a Rede Municipal de Percursos Pedestres se assume como uma forma de animação para complementar as ofertas turísticas já existentes no concelho, principalmente o produto sol-praia, enquadrando-se estrategicamente num dos produtos turísticos de aposta para Esposende – o Turismo de Natureza. Entende-se que a criação desta Rede Municipal pode gerar impactes económicos positivos, aumentando ainda os tempos médios de permanência dos turistas na região. 

Este seminário concluiu que devem ser geradas parcerias concretas, por parte das autarquias e privados, num esforço conjunto de dinamização deste tipo de oferta turística, com o objectivo de contribuir para a promoção sustentável do desenvolvimento local e, por outro lado, defendeu-se a necessidade de criar uma marca associada a esta Rede de percursos, à qual devem estar associados múltiplos artigos de artesanato e merchandising, que depois devem ser comercializados criando uma identidade própria. 

Foi ainda considerada de extrema importância a concepção de planos de gestão de dinamização dos percursos pedestres, que incluam a sua monitorização relativamente à utilização e estado de conservação e manutenção.
Plano de contingência COVID-19
   
Atendimento
   
A sua opinião é importante
imagemPortlet copy.png
   
CEA  em Blog
imagemPortlet
Desafios
dia a dia
Desafio dia a dia
   
Leituras
Leituras
   
Qualidade da água
   
Praias
   
Faturação
Eletrónica
   
QUIZ da Água  
   
SUMAKids
   
E-MOVE
   
Empreitadas
   
E|Ribeiras
   
Resp.
Social
Empresarial